quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Happy New Year



Que o próximo ano vos permita concretizar todos os vossos desejos.
São estes os votos dos professores do 5.ºA.
Fiquem bem.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Votos de um Santo Natal


Um Santo Natal para todos e para as vossas famílias.
Aproveitem bem a pausa para recuperar forças.

domingo, 20 de dezembro de 2009

O nosso Presépio!

Aqui fica o Presépio da nossa sala de aulas.
Esperemos que gostem.
Um Santo Natal para todos.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

José e o Manto das Mil Cores


Uma das minhas histórias favorita é a de José, filho de Jacob e Raquel.
José tinha o dom de interpretar os sonhos e, um dia, sonhou com espigas de trigo que se curvavam diante dele.
O seu pai desvendou o mistério do sonho: José seria um grande homem e todos se curvariam diante dele.
Os irmãos mais velhos entenderam isso como uma predilecção do pai e ficaram cheios de ciúmes, decidindo vendê-lo como escravo e dizer ao pai que o filho mais novo havia morrido.
José foi vendido como escravo, tendo ido parar à corte do Faraó do Egipto.
Como ali também desvendava sonhos, acabou por ganhar a confiança do Faraó e tornou-se governador de todo o Egito.
Mais tarde, acabou por acolher o seu pai e os seus irmão que fugiram da sua terra natal por causa da fome, perdoando aos seus 11 irmãos o que lhe haviam feito.
Fica a promessa que se o musical voltar a Coimbra o iremos ver.
Fiquem bem e aproveitem as férias.
Um Santo Natal para todos.
Os professores do 5.º A.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Desafio (a lesma)

A lesma
Uma lesma tem de subir um poste com 10 metros de altura.
De dia sobe 2 metros mas, à noite, enquanto dorme, escorrega 1 metro.
Quantos dias levará a lesma para atingir o cimo do poste?

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Desafio (o cerco)

O cerco

No século XIV, os castelhanos cercaram o castelo de Alguidares de Baixo, pequena vila situada ao pé de Alguidares de Cima.
Dentro do castelo estavam 45 soldados portugueses e havia a comida suficiente para dois meses.
Quantos soldados devem sair do catelo, às escondidas, pela Porta da Traição, para que a comida dure três meses, sem que ninguém coma menos?

sábado, 12 de dezembro de 2009

Desafio (as meias do Sr. Artur)

AS MEIAS DO SENHOR ARTUR

O Senhor Artur tem uma gaveta cheia de meias azuis e amarelas.
Certo dia, acordou bastante cedo e, não querendo acordar a esposa, nem acendeu a luz.
Às escuras tentou retirar as meias da gaveta, mas será que conseguirá tirar duas meias da mesma cor?
Quantas meias terá de tirar o senhor Artur, para ter a certeza de que tem um par da mesma cor?
PS: Já temos música!

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

M = igual?


«Projecto M =igual?»
Prevenção Rodoviária

O objectivo do Projecto «M =igual?» é tomar consciência de situações problemáticas no mundo de modo a podermos acabar com a pobreza.
Este projecto tem 8 símbolos e a turma A, do 5º ano, foi desafiada a criar e apresentar um 9º símbolo alusivo ao tema da Prevenção Rodoviária.
Todos os alunos deram o seu melhor e realizaram símbolos “fabulásticos” mas, apenas um ganhou. Foi o aluno Daniel Gonçalves, nº205, quem ganhou este pequeno concurso pelo seu belo trabalho que a todos agradou.
Pensámos juntar esta mensagem de Natal nesta altura do ano em que há muitos acidentes na estrada.
Aqui fica a nossa preocupação pelo seu bem estar e de toda a família.
Seja prudente na estrada; Conduza com precaução.

Tenha Boas Festas
E,
Que o Menino Jesus nasça no coração de todos nós.

Madalena Simões e Daniela Galvão

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Desafio (o ovo)

O ovo
Uma galinha, nascida em Cernache, põe um ovo na linha de fronteira Portugal-França.
Segundo as leis do Direito Romano, a quem pertence o ovo?
P.S.: Do lado direito, já está o endereço do site amigo Matematicamente Brincando, onde podem encontrar uma série de curiosidades e desafios. Boa sorte e divirtam-se.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Dueto entre a Dolores e um tropetista

Alguém conhecia os dotes artísticos da nossa Dolores? Não?
Então para que não haja dúvidas, aqui fica a prova dos seus dotes asninos, ou melhor, "zurrais", ou ainda melhor, vocais.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Desafio (os sobreviventes)

Os sobreviventes
Agora que a ficha de avaliação de História e Geografia de Portugal já passou à história, deixo-vos um desafio, para puxar pela "caixa dos pirolitos"
Um avião cheio de passageiros parte do aeroporto de Lisboa em direção a Berlim.
Por uma fatalidade, cai na fronteira França-Alemanha.
Em que país serão enterrados os sobreviventes?

sábado, 5 de dezembro de 2009

HGP - 3.ª ficha de Avaliação

Aqui vos deixo um link para que possam resolver fichas sobre a matéria que vai ser avaliada na segunda-feira.
Fazendo click na seta ao lado da palavra índice há mais fichas.
PS: Que ditado popular vos faz lembrar este mapa?

PmatE

Ainda só estão 9 alunos inscritos no PmatE!!!

Toca a inscrever e a treinar...

Neste momento são estes os resultados:

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Jogo Online

Experimentem este jogo de cálculo mental!
O objectivo é clicar sobre algarismos cuja soma seja o número que aparece do lado direito.
Depois digam como correu...

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

HGP - Os romanos na Península Ibérica

Caros amigos:
Amanhã, quinta-feira, dia 3 de Dezembro, é dia de correcção da Guia de Estudo e de revisões para a ficha de avaliação. Não se esqueçam.
O dia 7 de Dezembro é dia de ficha de avaliação.
Aqui vos deixo o resumo do tema "Os romanos na Península Ibérica".
Bom trabalho.
Os Romanos na Península Ibérica

Há cerca de 2200 anos, a Península Ibérica foi conquistada por um povo muito poderoso: os Romanos que eram originários da Península Itálica;
POs romanos ossuíam um forte e organizado exército, bem armado o que lhes permitiu conquistar um vasto império, isto é, um conjunto de territórios habitado por vários povos mas sujeitos ao poder de um mesmo chefe - o imperador;
O 1.º Imperador foi Octávio César Augusto.
Chegaram à Península Ibérica, no ano 218 a.C., depois de derrotarem os cartagineses que dominavam o sul e o este da península, atraídos:
- pelas riquezas da Península – metais, cereais, azeite, vinho, cavalos, etc;
- pela possibilidade de alargar os seus territórios;
- pela possibilidade de dominarem o comércio do Mar Mediterrâneo.
A conquista foi dura e difícil pois vários povos, com destaque para os Lusitanos ofereceram resistência à sua progressão.
Os Lusitanos, embora tivessem um exército mais fraco e menos organizado, utilizaram tácticas de guerra como os ataques de surpresa (armadilhas e emboscadas) que desnorteavam os Romanos.
Um dos mais famosos chefes dos Lusitanos foi Viriato.

Cronologia:

218 a. C. – Tropas romanas desembarcam na Península Ibérica;
179 a. C. – Início dos combates entre Romanos e Lusitanos;
25 a. C. – Fundação da cidade de Mérida (Emerita Augusta);
19 a. C. – Os romanos dominam toda a Península Ibérica;
409 – Os Bárbaros entram na Península Ibérica.
Chamamos ROMANIZAÇÃO às transformações das paisagens e do modo de vida das populações peninsulares causadas pelos romanos.
Os povos ibéricos, pouco a pouco aprenderam a língua, as leis, os costumes e as técnicas de construção dos romanos.
Os Romanos trouxeram muitas inovações que foram alterando o modo de vida dos povos peninsulares:
-novas culturas como a vinha, o trigo e a oliveira;
-exploração de minas (Aljustrel e Vila Pouca de Aguiar, por ex.);
-desenvolvimento de indústrias como a salga de peixe (Tróia), olaria e tecelagem;
- novos materiais de construção como as telhas, os tijolos e os mosaicos;
- novos utensílios como ânforas, talhas, candeias (lucernas), jóias;
- o uso generalizado da moeda para o comércio;
- uma rede de estradas e pontes para unir as diversas cidades entre si e a Roma, de forma a facilitar a circulação do exército e das mercadorias;
- novas cidades com teatros, templos, balneários públicos com água quente (termas), aquedutos (para abastecre as cidades de água), monumentos;

- novas cidades com teatros, templos, balneários públicos com água quente (termas), aquedutos, monumentos;
- um novo tipo de casa, coberta com telha, jardins interiores, repuxos de água, mosaico a cobrir o chão;
- uso do latim como língua falada na Península e que está na base das línguas latinas como o português, o mirandês, o castelhano (espanhol), o catalão, o galego, o francês, o italiano e o romeno;
Exemplos: Aqua – água; liber – livro mater – mãe; panis – pão; pater – pai; sal – sal; schola – escola; tegula-telha;
- uso da numeração romana;
A partir do século IV, o Cristianismo passou a ser a religião oficial de todo o Império Romano.
Como e onde nasceu o cristianismo?
Jesus Cristo nasceu em Belém, entre o ano 7 e o ano 4 a.C.;
Aos 30 anos de idade começou a pregar uma nova religião: o Cristianismo;
O Cristianismo era diferente da religião romana pois tinha como características:
A existência de um Deus único (religião monoteísta);
Deus criador de todas as coisas;
Pregação do amor e a igualdade entre todos os Homens;
Os cristãos negarem-se a adorar o Imperador;
Os cristãos não aceitarem a escravatura.
Jesus Cristo acabou por ser crucificado aos 33 anos.
A sua mensagem ficou registada no Novo Testamento.
O cristianismo espalhou-se, rapidamente, devido ao grande número de pobres e de escravos existentes no Império;
Muitos dos primeiros cristãos foram perseguidos sendo crucificados ou lançados às feras.
313 – O Imperador Constantino concede a liberdade de culto (cada um podia seguir, livremente, a religião que quisesse).
380 – O Imperador Teodósio declarou o cristianismo como religião oficial do Império.

O fim do Império Romano
Os romanos chamavam bárbaros a todos aqueles que vivam fora da fronteiras do Império e não falavam latim;
A partir do século IV, muitos desses povos invadem o Império, acabando com Império Romano em 476, ano em que foi deposto o último imperador romano.
Povos bárbaros:
Visigodos (instalam-se na Península Ibérica. Acabam por a dominar completamente no século VI);
Reino com capital em Toledo
Suevos (instalam-se na Península Ibérica);
Reino com capital em Braga.
Vândalos;
Francos;
Ostrogodos;
Anglos;
Saxões;
Borguinhões;
Lombardos; etc.

Os Visigodos eram:
- menos numerosos que os habitantes da Península;
- menos evoluídos do que a população romanizada;
- acabaram por aceitar a cultura romana;
- passaram a falar latim;
- adoptaram o Direito Romano (leis romanas);
- converteram-se ao Cristianismo.

Em resumo: também os visigodos sofreram o efeito da romanização.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Hoje é dia 1 de Dezembro, feriado nacional devido ao facto de comemorarmos a Restauração da Independência, ocorrida em 1640.
Deixo-vos aqui, uma cena de uma peça de teatro que escrevi com os alunos de uma antiga direcção de turma minha (6.º ano) e que, no final do ano, foi apresentada em público.
O desafio que vos deixo é desenvolverem um projecto deste género e, quem sabe, talvez para o ano que vem, apresentá-lo em público.
Desta vez recuamos até Évora, em 1637, a fim da assistirmos à chamada revolta do Manuelinho, um pobre louco de Évora, em nome do qual eram assinados os panfletos anti-espanhóis que apelavam à revolta.
Cena 4

(As viajantes saem da máquina do tempo e encontram uma manifestação).
(Entra em Palco, uma manifestação de meia dúzia de pessoas, cantando – com a música da canção A Fisga - e aclamando o Manuelinho).

Todos:
Trago o Manelinho às costinhas
Nesta manifestação anti-espanhola
Vivó Manelinho, abaix’os Filipinos
C’os espanhóis dão-nos cabo da carola.
C’os espanhóis dão-nos cabo da carola
Conquistemos a nossa independência
Estamos pobres, até pedimos esmola
Portugal é a nossa residência.
Manuela: Viva o rei Manuelinho!
Todos: Viva! Viva!
Maria: Abaixo a tortilha, os calhos e as natilhas! Viva a omeleta, as tripas à moda do Porto e o leite-creme!...
Todos: Viva! Viva!
Constantino: Abaixo os espanhóis! Viva os portugueses!
Todos: Abaixo! Abaixo! Viva! Viva!
Jesuíno: (com pronúncia alentejana e bocejando) Já estou ficando cansado. Vamos é ver se encontramos um chaparro, pois está quasi na hora da sesta. Viva a sesta! Abaixo o trabalho! Viva o descanso! Se o trabalho dá saúde que trabalhem os doentes! …
Todos: Queremos um chaparro! Queremos descansar! Queremos um chaparro! Queremos descansar!
Jesuíno: (Toma a palavra e discursa): Portugueses em geral, alentejanos em particular!
Todos: Apoiado! Apoiado! Muito bem!
Jesuíno: Nesta época de crise... em que os espanhóis nos levam todo o dinheiro que temos, há que votar em mim, - ó raio que já me enganei -, há que apoiar o Manuelinho! Viva o Manuelinho!
Todos: Viva! Viva!
Zé Próvinho: Alguém falou em vinho? Se o assunto é esse cá estou eu! Abaixo o vinho espanhol, viva o vinho do Alentejo!
Todos: Viva! Viva!
Maria: Lá está este outra vez a falar no vinho!
Constantino: Irra que ele só pensa mesmo no vinho. Em vez da cabeça devia ter um barril em cima dos ombros e uma torneira em vez do nariz. Maldito vinho.
Jesuíno: O vinho agora não interessa para nada! O que interessa é o chaparro. Viva o chaparro!
Todos: Viva! Viva!
Manuela: Vamos é comer uns pezinhos de coentrada.
Maria: Com a entrada adondi ?
Manuela: Não é com a entrada. É de coentrada!
Maria: Entã nã foi isso quê disse? Com a entrada. Mas onde é que fica a entrada?
Constantino: Vossemecê deve estar ficando surda.
Maria: Curda? Então esses são os do Iraqui.
Constantino: Irra. Surda! Não é curda.
Maria: Entã vossemecês se explicam…
Manuela: Vamos é apoiar o Manuelinho e deixemo-nos destas conversas de treta.
Maria: Preta? Quem é qué preta?
Manuela: Treta, mulher, treta.
Maria: Já ouvi. Eu sou surda. Escusa de estar aos berros quê já ouvi qué preta. Não sei o qué qué preta, mas já ouvi.
Constantino: Não há pachorra.
Maria: Onde é que está a cachorra. Ai que eu nã gosto nada de cães e muito menos de coas ou cãs. Ai quê nem sei como é que se diz.
Manuela: (aos gritos) Cadelas. O feminino de cães é cadelas!
Maria: Panelas? P’ra quê? Vamos comer? E se fosse uns pezinhos de coentrada.
Manuela: Ora voltámos ao princípio. Viva os pezinhos de coentrada.
Todos: Viva! Viva!
Manuelinho: Viva eu! Viva eu!
Todos: Apoiado! Apoiado! Viva ele, viva ele.
(Dirigem-se para fora do palco a bocejar e a cantar a música de entrada).
Escanifreda: Bem isto está tudo visto! Vamos embora, pois já estou cheia de sono! Acorda!
Andrioleta (Estava a dormir): O quê? Onde estou eu? O que se passa?
Escanifreda: Vamos embora! Vamos até à casa de D. Jorge de Melo.
Andrioleta: Quem é o D. Jorge de Melo?
Escanifreda: É um dos nobres que está a conspirar para expulsar os espanhóis de Portugal.

(Entram na máquina do tempo e muda a cena).

segunda-feira, 30 de novembro de 2009







Aqui vai mais um desafio das Ciências!



Identifica estas três imagens

sábado, 28 de novembro de 2009

Desafio (O falcão e as pombas)

Certo dia um falcão ao sobrevoar um telhado encontrou, pousadas nele, umas pombas.
Ao pousar disse às pombas:
- Olá amigas! Vocês devem ser para aí umas 100.
Elas responderam:
- 100 não somos mas, nós, outras tantas como nós, mais 1/4 de nós e contigo gavião 100 pombas seremos.
Quantas pombas estavam no telhado?

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Desafio (torneio de ténis)


Torneio de ténis
Num torneio de ténis inscreveram-se 64 pessoas. O torneio é por eliminatórias.
Quantos jogos devem ser disputados até ser encontrado o vencedor?

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Planificação do Cubo

O João Martim quer fazer mais um cubo com um pedaço de pano formado por seis quadrados, que serão as faces do cubo. Qual dos seguintes pedaços de pano permite formar um novo cubo?

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Cubos

O João Martim quer arrumar alguns cubos, todos do mesmo tamanho, numa caixa cúbica. Já arrumou os cubos que se vêem na figura. Quantos cubos falta arrumar para encher a caixa?

domingo, 22 de novembro de 2009

Quadrado Mágico

Num quadrado mágico, a soma dos números de cada linha, cada coluna e de cada diagonal é sempre a mesma.
Sabendo que cada linha, cada coluna e cada diagonal deve dar 1,5 torna mágico o quadrado seguinte.
Para tal, indica o valor de cada uma das letras.

sábado, 21 de novembro de 2009

Desafio (a moeda)

Qual a moeda mais pesada?
Entre 6 moedas uma é mais pesada que as restantes.
Podes efectuar apenas 2 pesagens para descobrir qual das moedas pesa mais.
Como fazer?

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

HGP - mais um desafio

Numa das últimas aulas, falámos numa espécie de condimento muito utilizado na Antiguidade, especialmente na Roma Antiga.
Esse condimento era feito de sangue, vísceras e de outras partes seleccionadas do atum ou da cavala misturadas com peixes pequenos, crustáceos e moluscos esmagados.
Tudo isto era deixado em salmoura e ao sol durante cerca de dois meses ou, então, aquecido artificialmente, para se obter esse apreciado acepipe.
Ui, que já me está a crescer água na boca!.....
Alguém se lembra do seu nome?
Já agora, em que sítio perto de Setúbal se fabricava tão apetitoso petisco?

Mosaicos romanos

Mosaico ou arte musiva, é um embutido de pequenas peças de pedra ou de outros materiais (vidro, mármore, cerâmica ou conchas), formando determinado desenho. O objectivo do mosaico era preencher espaços como pisos e paredes.
A palavra "mosaico" tem origem na palavra grega mouseîn, a mesma que deu origem à palavra música e que significa próprio das musas. É uma forma de arte decorativa muito antiga, que nos remete à época greco-romana, quando teve seu apogeu.
A técnica da arte musiva (do mosaico) consiste na colocação de pequenos fragmentos de pedras, como mármore e granito moldados com tagliolo e martellina, pedras semi-preciosas, pastilhas de vidro, seixos e outros materiais, sobre qualquer superfície.
Depois desta introdução à arte dos mosaicos, aqui fica o desafio: que nome se dá aos cubos de pedra, vidro ou de outro material que os romanos utilizavam para fazer os mosaicos?

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Participação no MaisMat

Não se esqueçam de treinar para a competição de que falámos hoje, do projecto PMate.

Já há gente a treinar!

E a Bárbara já chegou ao nível 13! Parabéns!

Para os mais esquecidos, o endereço é pmate.ua.pt

Bom trabalho.

Desafio (Cães e rapazes)

Num jardim estavam rapazes e cães a brincar.
Contei as cabeças e vi que eram 22.
Contei os pés e encontrei 68.
Quantos rapazes e quantos cães havia no jardim?

domingo, 15 de novembro de 2009

Desafio (Império Romano)

Os romanos, cujo estudo iniciámos esta semana, tinham uma civilização urbana. Por todo o Império apareceram cidades que procuravam imitar a capital, Roma.
Aqui fica o desafio:
Apresento-te várias cidades portuguesas.
O objectivo é escreveres como se chamavam no tempo dos romanos e qual o nome que damos, hoje, aos seus habitantes.
Coimbra

Beja
Braga
Santarém
LisboaFaro

Chaves
Há prémio para o primeiro a acertar em todas as respostas.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Desafio - O empregado desonesto

Surpresa no restaurante

Eu e mais dois amigos meus fomos comer ao restaurante XPTO e, no final, tínhamos uma conta de 30€ para pagar.
Resolvemos então fazer o seguinte: cada um de nós pagar 10€.
O empregado levou o dinheiro, mas o dono do restaurante disse-lhe o seguinte:
- Esses são três clientes antigos do restaurante e, por isso, vou-lhes devolver 5€" ...E entregou ao empregado cinco moedas de 1€.
O empregado, muito esperto, fez o seguinte: ficou com 2€ para ele e devolveu 1€ a cada um de nós.
No final cada um de nós pagou o seguinte:
10€ - 1€ (que foi devolvido) = 9€.
Logo, se cada um de nós gastou 9€, isso que quer dizer que gastámos, juntos, 27€.
Se o empregado ficou com 2 € para ele, isto dá:
Nós gastámos: 27€
Empregado ficou com: 2€
TOTAL: 29€
Pergunta: onde foi parar o Euro que falta ???

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Desafio - Quantos carneiros?

Um pastor diz para outro:
— Dá-me um de teus carneiros e assim ficamos com igual número de carneiros.
O outro responde:
— Nada disso! Dá-me tu um de teus carneiros e ficarei com o dobro dos teus.

Quantos carneiros têm cada um?

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Desafio (dia da semana)

Se o amanhã de ontem era quinta-feira, que dia é o dia depois de amanhã de ontem ?

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Os clientes do bar Lua Cheia

Ontem à noite choveu muito e o bar Lua Cheia recebeu poucos clientes.
O dono do bar, no dia seguinte, perguntou ao seu empregado Afonso se tinha havido muito movimento e quantos clientes tinham tido.
O Afonso respondeu assim ao patrão:
"Ontem à noite estiveram aqui dois pais e dois filhos."
Portanto só lá estiveram três pessoas.

Afinal, quem foi ao bar Lua Cheia?

domingo, 8 de novembro de 2009

Desafio - o urso

Não se esqueçam que a matéria para a ficha de avaliação está nos 3 post's anteriores.
Para poderem descansar um bocado e pensar noutras coisas, deixo-vos aqui um desafio.
É só pôr a "caixa dos pirolitos" a funcionar.
Uma pessoa montou uma tenda para dormir.
Subitamente, apareceu um urso que lhe desfez a dita tenda.
A pessoa, pacientemente, reparou a tenda e montou-a novamente.
Entretanto, o urso andou um quilómetro para sul, dois quilometros para Oeste e outro para Norte e, voltando a passar pelo acampamento, desfez novamente a tenda.
Pergunta: de que cor era o urso?

terça-feira, 3 de novembro de 2009

HGP (2.ª Ficha)

As primeiras comunidades recolectoras

Há muitos milhares de anos

Europa :

Clima muito frio;

Muitas zonas cobertas de gelo;

Dominam as plantas rasteiras;

Fauna típica de climas frios:

Mamutes;

Bisontes;

Ursos;

Renas.

Homens e mulheres viviam em comunidades (clãs) compostas por 30 ou 40 pessoas;

Grandes dificuldades em sobreviver:

Frio

Animais ferozes;

Arranjar comida.

Dedicavam-se à caça, à pesca e à recolha de vegetais, por isso se diz que eram recolectores.

Os homens eram nómadas, isto é, não tinham residência fixa pois deslocavam-se à procura de alimentos;

Viviam em grutas, cabanas e abrigos;

Vestiam-se com peles e usavam instrumentos de pedra, osso ou madeira.

Com a descoberta do fogo (Homo Erectus) melhoraram a sua vida:

Assaram os alimentos;

Aqueceram-se nas noites frias;

Exploraram o interior das grutas;

Espantaram os animais ferozes;

Endureceram os instrumentos de madeira;

Criaram laços mais fortes entre si.

As primeiras comunidades recolectoras Também se manifestavam artisticamente:

Arte Rupestre - é aquela que é feita sobre a pedra (gravada ou pintada)

Pintavam animais e cenas de caça;

Muitos vestígios junto aos rios e no litoral (por exemplo as gravuras de Foz Côa).

As comunidades agro-pastoris

Há cerca de dez mil anos:

Alterações no clima:

Subiu a temperatura;

Fundiram-se os gelos;

O clima tornou-se mais quente e seco.

Extinguiram-se muitos animais como o mamute, o tigre dentes de sabre, etc;

Surgiram novas espécies: veado, javalis, raposas, etc;

O homem passou a viver melhor.

Península Ibérica (há cerca de 5 mil anos)

Havia comunidades agro-pastoris:

O homem praticava a agricultura, a pastorícia e a domesticação de animais;

O homem passou a ser sedentário, isto é, a viver permanentemente no mesmo local (próximo das terras que cultivava);

Surgem assim as primeiras aldeias junto aos campos cultivados;

A alimentação melhorou: cereais, carne dos rebanhos que apascentava, leite, pão, etc.

O homem passou de recolector a produtor.

Além da invenção da agricultura e da domesticação de animais, o homem inventou:

A cerâmica e a roda de oleiro

Permitiu-lhe fazer objectos de barro para guardar alimentos, por exemplo.

A mó manual

Permitiu-lhe moer os cereais.

A cestaria

Permitiu-lhe fazer cestos para transportar o que quisesse.

A tecelagem

Permitiu-lhe tecer panos de lã e linho.

Uma série de novos instrumentos como a enxada, o foice, o pau de escavar, o arado de madeira, etc;

A roda.

As comunidades agro-pastoris construíram monumentos com grandes blocos de pedra – mega (grande) + lithos (pedra) a que chamamos Arte Megalítica.

Menires – grande bloco de pedra rudemente trabalhada, colocado na vertical.

Alinhamentos – menires dispostos em fila ou em várias filas.

Cromeleques - menires dispostos em círculo ou em vários círculos.

Antas ou dólmenes – monumentos funerários onde enterravam os seus mortos juntamente com os seus objectos pessoais.

Os homens dos Castros

Durante o 1.º milénio antes de Cristo:

Vida dos homens da Península Ibérica vai-se modificando

Influência de outros povos.

Os Iberos:

Eram morenos e de estatura média;

Habitavam o Sul e o Este da Península Ibérica;

Criavam gado;

Praticavam a agricultura;

Usavam o arado;

Exploravam minérios;

Faziam objectos de cobre e bronze.

Os Celtas:

Povos guerreiros vindos do centro da Europa;

Eram altos, louros e de olhos claros;

Fixaram-se no Norte e Centro da P. Ibérica.

Trouxeram as técnicas da metalurgia do ouro e do ferro.

O ferro permitiu fabricar melhores armas e melhores instrumentos agrícolas (mais resistentes)

Os Celtiberos:

Com o passar dos tempos os celtas e os iberos misturaram-se dando origem aos CELTIBEROS;

As tribos de celtiberos guerreavam-se constantemente o que os levou a construir os seus aldeamentos (castros) no cimo dos montes.

Os Castros:

Nome dado aos aldeamentos situados no cimo dos montes, rodeados de muralhas. Também podem chamar-se Citânias;

A sua localização e as muralhas que os rodeavam procuravam defender o local dos ataques.

Os Lusitanos:

Habitavam a região entre o Douro e o Tejo (Lusitânia);

Eram hábeis na luta de guerrilha.

Contactos com os povos do Mediterrâneo

Os Iberos viviam melhor que os povos que habitavam o centro e o norte da Península Ibérica;

Cultivavam o trigo, a vinha e a oliveira, produzindo excedentes, isto é, mais do que necessitavam;

Isto permitia-lhe vender os produtos excedentes.

O comércio e o sítio onde viviam (Sul e Este da Península) permitiram-lhes contactar com povos mais desenvolvidos vindos do Mediterrâneo:

Fenícios;

Gregos;

Cartagineses.

Os Fenícios:

Primeiro povo a chegar;

Oriundo da Fenícia (Mediterrâneo Oriental);

Povo de comerciantes;

Comerciavam, entre outras coisas, objectos de vidro e tecidos de cor púrpura;

Essa cor (púrpura) fazia sucesso naquela época porque só existiam roupas com cores entre o preto, o branco e o cinza. Sair de púrpura era sinal de poder e nobreza;

Trouxeram o alfabeto (22 letras), a maior herança que nos deixaram.

Os Gregos:

Eram oriundos da Grécia (Península Balcânica);

Como os fenícios, também fundaram feitorias (locais de comércio) na costa peninsular;

Por aqui deixaram muitos vestígios: moedas, armas, objectos de cerâmica;

Trouxeram a moeda (dracma).

Os Cartagineses:

Vieram da cidade de Cartago (Norte de África);

Cartago foi uma cidade fundada pelos fenícios;

Estabeleceram-se na Península a partir do século VI a.C.

Deixaram-nos a técnica da conservação dos alimentos pelo sal.

domingo, 1 de novembro de 2009

HGP (Primeiras Comunidades Produtoras)

Comunidades agro-pastoris
Há cerca de 15 mil anos, o clima da Terra mudou: a temperatura aumentou e os gelos recuaram para as zonas polares.
Na Península Ibérica, a temperatura tornou-se mais amena, aumentaram as zonas habitáveis, mudou a vegetação e os animais que aqui viviam, tendo desaparecido os rinocerontes lanudos, os mamutes e aparecido os veados, as raposas, etc.
Mudou também o modo de vida das comunidades da Península, adaptando-se ao novo ambiente natural.
O homem vai passar de recolector a produtor, de nómada a sedentário.
O Homem:
- dedicou-se à pastorícia e à domesticação de animais: começou a criar animais como o porco, a cabra, a vaca, a ovelha, o cão (o primeiro animal a ser domesticado) e o cavalo e à agricultura iniciando o cultivo de trigo, cevada, centeio, favas, linho, etc;
- tornou-se, por isso, sedentário, vivendo em aldeias, produzindo os seus próprios alimentos, não precisando já de se deslocar permanentemente para se poder alimentar;
- utilizou novas técnicas como a cestaria, a olaria, a tecelagem, a moagem de cereais: para guardar os produto das colheitas fabricou cestos e vasos de barro; com a fibras vegetais e animais (o linho e a lã) fabricou tecidos, tendo inventado o tear, a mó manual, a roda de oleiro;
- usou novos utensílios: apesar de continuar a usar a pedra, a madeira e o osso, fabricou novos utensílios como a foice, a enxada, a mó, o arado, a roda;
- mais tarde, descobriu a metalurgia, passando a utilizar instrumentos de metal: primeiro, o cobre e o bronze e, com a chegada dos Celtas, o ferro e o ouro;
- constuíu monumentos usando grandes blocos de pedra (arte megalítica) como os menires, os cromeleques e as antas ou dólmenes.
Os metais tanto eram usados em utensílios, como em armas ou em adornos.
Questões:
  • Refere as diferenças entre ser nómada e ser sedentário e entre recolector e produtor.
  • Indica duas novas técnicas inventadas por estes homens que estejam presentes na imagem.

sábado, 31 de outubro de 2009

HGP (Primeiras Comunidades Recolectoras)

As primeiras comunidades recolectoras
Desde há muitos milhares de anos que o Homem habita a Península Ibérica onde chegou, vindo de África, através do estreito de Gibraltar.
Esses primeiros homens viviam em pequenos grupos; tinham de ser muito hábeis e só o esforço de todos lhes permitia vencer as dificuldades: o frio era intenso, a neve era muita, dependiam totalmente do que a Natureza lhes dava porque utilizavam técnicas muito primitivas.
Eram recolectores, isto é, viviam apenas do que recolhiam, pescando, da caçando, da apanhando frutos, raízes, folhas, ovos, etc.
O Homem:
- protegia-se do frio, construindo abrigos e vivendo em cavernas;
- vestindo-se com as peles dos animais que caçava;
- fabricava instrumentos de madeira, pedra, osso, corno, como os bifaces (machados de pedra), as lanças, as pontas de seta, os raspadores, etc;
- dominava o fogo para se aquecer, cozinhar os alimentos, explorar as cavernas, afugentar os animais ferozes, ter luz de noite, endurecer os instrumentos de madeira, etc;
- era nómada isto é, deslocava-se permanentemente em grupo, procurando os locais onde viviam os animais que caçavam e onde abundassem os frutos e vegetais;
- era artista e mágico fazendo pinturas e gravuras nas paredes das cavernas ou nas rochas - arte rupestre.
Ainda hoje é um mistério o significadodessas pinturas e gravuras mas, possivelmente, faziam-nas para trazer sorte às caçadas e term abundância de alimentos.
A propósito disto, lembra-te das gravuras de Foz Côa e das pinturas das grutas de Lascaux (podes procurar informação na Internet).
Para verificares os teus conhecimentos consulta este endereço (já tem, também, perguntas sobre as comunidades produtoras):

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Os três músicos

Há três músicos, o João, o António e o Francisco, que tocam harpa, violino e piano.
Contudo, não se sabe quem toca o quê!
Sabe-se que o António não é o pianista.
Sabemos também que o pianista ensaia sozinho à Terça .
O João ensaia com o Violinista às Quintas.
Quem toca o quê ?
Já agora, quem é o autor do quadro apresentado?

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Aqui fica mais um desafio.
É tudo uma questão de lógica.

Se a única irmã do único irmão da tua mãe tem um filho único, que parentesco tem essa criança contigo ?

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Desafio

Quantos triângulos consegues contar no desenho da bandeira?


Quem acertar primeiro tem direito a prémio!

Sugestão

Aqui deixo uma sugestão para quem gosta de histórias.

http://www.historiadodia.pt/pt/index.aspx

Neste site podem encontrar uma história nova todos os dias. Podem lê-la ou ouvi-la.

Visitem. Verão que vale a pena.

domingo, 25 de outubro de 2009

O Fogo

Uma das mais importantes descobertas do homem foi o uso e o fabrico do fogo.
Enumera as vantagens que terá trazido para o homem o uso do fogo.